Carlão

04/07/2012 16:14

ARTILHEIRO AMADO, IDOLADRADO, MAS TAMBÉM EXCOMUNGADO PELA MESMA TORCIDA, MAS ARTILHEIRO CHAMADO CARLÃO”

 

 

Já dizia Dário José dos Santos, mais conhecido como “Dada Maravilha, Peito de Aço, Beija flor” QUE NÃO EXISTE ARTILHEIRO RUIM E NEM GOL FEIO POIS, GOL É GOL E ARTILHEIRO É ARTILHEIRO OU ENTÃO FEIO E NÃO FAZER GOLS”. Esse subscritor que teve felicidade de 1983 quando Profissional no América futebol clube de BELO HORIZONTE – MG., jogar com Dada maravilha e também o privilegio de realizar inúmeros amistosos com o meu maior ídolo e o maior jogador que vi jogar REYNALDO JOSE DE LIMA “O REI- NALDO”, ou com José Carlos do America de Barbacena vulgo “bicudo” não poderia deixar de dizer homenagear um dos maiores artilheiro de todos os tempos do futebol de Barbacena que é sem sombra de dúvidas CARLOS EDUARDO DE ASSIS, “O CARLÃO, O URKO,”.

Zagueiro de profissão iniciou sua carreira no “Vasconosco de Barbacena” passando ainda pelo Andaraí quando, muito jovem se transferiu para o CLUBE ATLÉTICO MINEIRO após um amistoso realizado em Barbacena contra o infantil do galo de ouro”.

Disputado pelo cruzeiro e até porque não dizer pelo seu pai o RUY CARLOS DE ASSIS, que não queria liberar seu passe, pois dizia o Ruy ao DIRETOR ATLETICANO O SEGUINTE:

“Não posso libera-lo porque o meu filho enche o meu caminhão de área em 30 minutos na pá”.

Na simplicidade do pai de Carlão, foi campeão nas várias categorias do CLUBE ATLÉTICO MINEIRO, tendo como companheiro de zaga CLEBER ou como queira o CLEBÃO, de Seleção Brasileira, Cruzeiro, Palmeiras entre outros.

Ainda como zagueiro se transferiu para o SANTA TEREZA, CRUZEIRO, tendo sido Campeão Brasileiro pelo juvenil do GALO, E VÁRIAS OUTRAS COMPETIÇÕES NO BRASIL como “COPA GAUCHA DE JUVENIL”, DISPUTANDO a concorridíssima TAÇA SÃO PAULO DE JUNIORES TAMBÉM.

Quando o conheci e com as dificuldades da bola Carlão ainda foi campeão pelo “SETE DE SETEMBRO” DE BH, Da segunda divisão, transferiu-se para o Pouso Alegre do Sul de Minas e encerrou sua carreira no AMERICANO DE CAMPOS - RJ., após disputar 02 Brasileiro e um Carioca, tendo como amigo de clube o badaladíssimo LÉO lateral esquerdo do SANTOS F.CLUBE.

Por influencia familiar negativa acabou por abandonar a carreira de atleta profissional e novamente se radicou na querida cidade de Barbacena – MG., e daqui deu inicio a sua trajetória de atacante e o maior artilheiro em atividade pois de quase todas competições sempre se destacou na artilharia e sagrando-se campeão.

Se o futebol me quisesse presentear-me, bastaria que me desse um sábado ou domingo recheado de gols de CARLOS EDUARDO DE ASSIS O VULGO CARLÃO. NO WALTER ANTUNES, embandeirado, a multidão ali, em peso, todo mundo cantando e pulando pela glória do artilheiro CARLÃO aos gritos de “ô Carlão voltou, ô Carlão voltou, ô Carlão voltou Ô”.

Nesta tarde de lembranças, quero rever, sobretudo, certos gols que ele deixou de fazer na competição de 2011 ao perder nada mais que dois pênaltis contra um mesmo adversários “MONTANHES” que nos custou a desclassificação prematura nas semifinais e que vinha lhe atormentando desde então a ponto de passar a sofrer a síndrome de não mais querer bater pênaltis e o fazendo nesta competição e perdendo novamente.

Recordo-me que mesmo sendo artilheiro em todas as competições em determinados momentos, os presidentes me chamavam e diziam como dito pelo WESCESLAU RESENDE E O ATUAL JORGE FONSECA SEGUINTE:

“Fernando não está na hora de descança-lo um pouco nessa partida, para poupa-lo”? WESCESLAU RESENDE

“Fernando o Carlão está fora de forma, e poderia ter feito muito mais de que esses gols ai” JORGE FONSECA

 

Este fato se dera em uma COPA BARBACENA após os dois primeiros insucessos na competição contra o Santa Efigenia e outra equipe e passado em branco com uma atuação pífia respondi:.

“Presidente como se descansa um artilheiro que sempre foi decisivo nos momentos importantes do ANDARAI”?

O jogo seguinte era contra o BARCELONA e o Carlão sempre ele VOLTOU A FAZER A DIFERENÇA, e nós vencemos de 4x0 com 04 gols dele indo para final contra o tradicional VILA DO CARMO do presidente ALOÍSIO que reforçou sua equipe com nada mais nada menos que CAL BAIANO, SERGIO ARAUJO e vários outros atletas profissionais que atuaram no Olympic Clube pela segunda divisão com sucesso e sempre ele marcou os dois gols do titulo e fomos novamente campeões.

Foram 365 dias de tormento para ao final chegar a redenção neste dia 30 de junho de 2012 em nosso estádio WALTER ANTUNES, contra um adversário “encardido” e além dos 30 e tantos gols marcados ele sempre ele fez os 2x0 do titulo de máster 2012, recebendo o troféu inquestionável de artilheiro mesmo deixando de bater pênaltis.

Doido de paixão jurava que eram feitos pessoalmente para mim, para sua filha e minha sobrinha NICOLI, e em especial para os que o criticavam e não acreditavam em seu futebol. Quantas vezes amaldiçoaram os "GOLS" de CARLÃO! Ele arrancava do meio campo, temível, e, como um raio, entrava pela grande área, fulminante. O desfecho da jogada era sempre o mesmo: uma bola no fundo da rede, um goleiro desvalido e o meu coração ESTARRECIDO QUANDO JOGADOR OU AGORA COMO TREINADOR.

Era assim que terminavam os meus sábados e domingos em tarde de futebol e que tinha Carlão, pois não me recordo ter desfalcado a minha equipe, pois disciplinado este nunca era expulso e comprometido sempre se fazia presente.

Foi artilheiro da competição Máster quando toda a equipe do Andaraí foi emprestada ele sempre ele novamente com um marco impressionante fez vinte e tantos gols, não mais do que este ano, mas muitos gols.

Até então, eu não tinha vivido bastante para perceber que Carlão era um belo artista e que o gol, longe de ser um infortúnio, é apenas uma graça que o futebol oferece para fazer festa no coração dos homens, mas, raiva também e colocar  adrenalina nos torcedores.

Hoje coisas da vida que o futebol é na minha vida, é mais saudade que esperança, Carlão com certeza costuma aparecer no telão das insônias dos zagueiros, pois, mais artilheiro do que nunca transformava em pesadelo. E com que alegria revejo, agora, aqueles gols arrebatadores que ele fazia com a veemência de um predestinado! Gols e mais gols que no dia 30 passado  sangrou a torcida Americana que comemorou antecipadamente pois subestimaram, o timaço do Andaraí, o artilheiro e que hoje só enternecem o meu coração.

Carlão guardava em campo o rigor de um quereiro romano de um lutador de MMA “ANDERSON SILVA” e a retidão de um cavalheiro. Nunca perdeu a esportiva. Se alguém lhe dava um pontapé, ele dava, de volta, a outra face: jogava como um cristão. O futebol era a sua religião. Carlão, alto, hoje gordinho de corpo mas um respeito a todos que parecia feito a mão.

Foi dia de clássico no dia 30 de junho de 2012. O estádio Walter Antunes está em pé de guerra, mas como dito por CARLINHOS JOGADOR DO AMÉRICA “SÓ O MASTER SÓ PARA RESGATAR O FUTEBOL DE BARBACENA”. CARLÃO recebe a bola no meio do campo e dispara. Na crista do corpo que corre em aceleração vertiginosa, a lâmina no peito vai cortando, certeira, o campo minado, o caminho do gol: é gol! Ele não pára de correr e atravessa a linha de fundo, épico, com os braços abertos ao delírio da multidão O TITULO É NOSSO e deixa para trás a frustração de ter deixado de ser campeão em 2011 pela perda dos pênaltis, mas de sua boca nada ecoado de ofensa a ninguém e nem aqueles que sempre te criticaram e ofenderam dentro e fora de campo pois a resposta sempre virá com o “orgasmo do futebol” é gol é gol e é gol.

OBRIGADO CARLÃO POR VOCE SER ANDARIENSE E MEU AMIGO E CUNHADO.

 

FERNANDO SERGIO DE OLIVEIRA

Técnico e vice-presidente de futebol

Andaraí Esporte Clube